domingo, 31 de julho de 2011

CHEGA DE MAROLA


Achei esse video muito maneiro.
J. J. Florence, Ballito Bay, ao som de Black Sabbath
Sugiro tela cheia e som alto

http://vimeo.com/26710106


video



MUNDIAL MASTER RJ 2011 - FINAL

Se Fabinho tivesse vencido, aposto com qualquer um a quantia que for que na maioria das reportagens gringas haveria alguma gracinha questionando a legitimidade do título, seja pela falta de ondas, seja pela falta de comprometimento dos atletas, fator casa, etc.
Pois farei o mesmo com o pobre Webster.
Brincadeira.

Mas seu título estaria muito melhor nas mãos de Victor Ribas, melhor surfista do evento.

Fabinho foi o melhor brasileiro na prova, terminando com o vice-campeonato mundial master 2011. Foto: site do campeonato


Infelizmente Victor não teve a paciência necessária no final de sua bateria semi final contra o próprio Webster, mas já falo disso.
Como previsto o dia amanheceu merreca e com séries demoradas.
Neguinho vai falar que o evento foi show, que reunir os caras é maneiro e tals, mas na real, o surf foi muito ruim, é quase um pecado empregar esse material humano nessas condições.
Na minha opinião, quanto ao esporte surf, o evento foi um fiasco, pode e deve ter promovido inúmeros outros aspectos, mas no surf, na agua, infelizmente foi uma m....
Culpa de quase ninguém, talvez de quem disse que uma semana era suficiente de janela de espera.
Considerando que o evento tem status de definição de Títulos Mundiais da ASP, acho que não custa colocar o mesmo número de dias que o evento do WT tem.
Aliás, mantenho minha crítica aos eventos SuperSurf, um evento desse nível não pode ficar sem vídeos das baterias, de preferencia no sistema On Demand. O site do campeonato até tem uns vídeos com os melhores momentos e tudo mais, mas é diferente vc poder escolher a bateria que quer ver.
As fotos estão maneiras, a cor da a agua e a proximidade deixaram elas espetaculares veja mais no site do evento:  http://supersurf.abril.com.br/tv-supersurf/

GRAND MASTER

Iniciou o evento bem cedo, com as quartas da Grand Master.
Glen passou fácil por Cheyne Horan, que simplesmente não consegui surfar as ondas que mal ultrapassavam seus joelhos, não é uma critica ao evento em si, apenas uma lamentação, esses dois estão em forma e surfando bem, é fácil imaginar como seria essa bateria com o Arpex 4/5 pés.
Na segunda, para minha surpresa Iain Buchanan passou por Shaun Tomson, numa bateria devagar, com nenhum dos dois se dando muito bem nas ondas que escolheram.
Na seguinte Wayne passou por Richardson que ficou visivelmente chateado com o derrota. Rabbit teve mais sintonia e mereceu.
Na última a grande zebra da fase, Simon Anderson em menos de 5 minutos achou duas belas esquerdinhas e as surfou muito bem para eliminar Michael Ho, muito mais leve e ágil, mas que simplesmente não achou nenhuma onda que pudesse ajuda-lo a reverter o resultado.

Com a disputa de duas categorias simultâneamente o formato do evento se encaixa naturalmente, permitindo que haja um descanso para os atletas entre as fases.

Glen Winton, o Mr X, minha aposta no bolão não vingou, mas estava voando com sua Invicta 6´0. Foto: site do supersurf
 
Após as quartas da master começou as semis da grand master com Iain Buchanan se levantando contra Glen Winton, que a exemplo de Terry Richardson queria muito vencer e estava voando na prancha do Peninha, mas não deu, realmente Iain estava com a estrela e neste tipo de condição, sem estrela, sem sorte, já era.
Na segunda, Wayne passa por um satisfeito Simon Anderson. Acho que nem ele esperava passar por Michael Ho.

A grande final Iain venceu um incansável Wayne Rabbit. Se não me falha a memória, Iain Buchanan surfou duas ondas apenas e Wayne ficou correndo atrás da virada, mas simplesmente o mar ficou flat (ficou nada, já estava flat antes das baterias começarem). Mas foi legal ver uma cara diferente ganhar, Wayne, fora seu título de 78, já havia vencido dois outros mundiais master.
E soube na praia que Iain nunca tinha feito final do mundial da ASP na sua época de profissional, parabéns para ele. Antes tarde que nunca.

MASTER


Na primeira das quartas, o confronto gringo, Shea deve ter caido na nigh carioca...não entrou na bateria em momento algum e Nathan levou com tranquilidade.
Na segunda, drama, drama, drama. Falei acima que Victor foi o melhor surfista do evento, e foi!
Mas as vezes o melhor precisa de um empurrãozinho.
Lembram aquele campeonato com final polemica entre AI e KS em J Bay? Foi o mesmo, empurraram o KS, mas ele foi o melhor daquele evento.
Aqui foi o mesmo, Fabio Silva venceu, mas não levou, Victor virou em ondas que não valiam a virada e o Fabio ainda teve a manha de virar de novo, mas os juizes deram a nota para o Victor e ficou dificil para Fabio dar nova virada.

Fabio Silva ganhou, mas não levou, Campeão Moral na minha opinião. Foto site do supersurf
 
Mas pelo menos Fabio mostrou ser um ser humano formidável, ao demonstrar humildade e espírito esportivo exemplares, se fosse um gringo viadinho ia dar xilique.
Na terceira, Fabinho Gouveia passou por um esforçado Renan Rocha. Renan é alto para os padrões do surf, e nesse mar então ele parecia um gigante amassando as pequenas sessões da onda.
Na última Peterson passou por Herdy, não sem antes os 4 (Fabinho, Renan, Peter e Herdy) protagonizaremHardcore que conta uma trip desses mesmos 4 amigos para a Indo, legal, a vibe estava irada, pecado não haver ondas.

Peterson, como de costume, representou e ficou em terceiro, sendo barrado por Fabio Gouveia. Foto: site do supersurf


Na primeira semi Victor perdeu para Webster. Victor não competiu bem, surfou muito, mas faltou sangue frio. Deu mole, perdeu a prioridade a três minutos do fim, numa direita fechada e qdo veio a onda da virada a prioridade era de webster.
Para o australiano foi uma onda normal, nem entrou no score, mas Victor de frente pra onda, e surfando como vinha, tenho certeza que faria a nota.
E não veio mais ondas até o fim.

Na segunda semi, o reencontro da primeira final da história do SuperSurf e realmente foi uma reedição, com o mesmo resultado, Fabio passou por Peterson numa bateria de pouquíssimas ondas.

Na grande final Webster demostrou um rabo danado ao achar as ondas novamente. E realmente a escolha de ondas definiu o campeão, parabéns para ele, mereceu, mas...

ASP WORLD MASTERS CHAMPIONS: 
 
2011:
 Nathan Webster (AUS)

2010:
2009:
2008:
2007:
2006:
2005:
2004:
2003: Gary Elkerton (AUS)
2002: N / A 
2001: Gary Elkerton (AUS)
2000: Gary Elkerton (AUS) 
1999: Cheyne Horan (AUS) 
1998: Joey Buran (EUA) 
1997: Terry Richardson (AUS) 

Grand Masters 
 
2011:
 Iain Buchanan (NZL)

2010:  
2009: 
2008: 
2007: 
2006: 
2005: 
2004: 
2003: Wayne Bartholomew (AUS)  
2002: N / A 
2001: Mark Richards (AUS) 
2000: Michael Ho (HAW)  
1999 : Wayne Bartholomew (AUS) 
1998: N / A 

1997: N / A 
(FONTE: ASPWORLDTOUR.COM)

sábado, 30 de julho de 2011

MUNDIAL MASTER RJ 2011 E BOLÃO

Sabadão, obrigatoriamente, tinha que ser uma maratona de baterias, uma vez que o evento tem que acabar domingo, mesmo com uma boa previsão para segunda e terça, ah...anos 80, surfista pega qualquer merda mesmo, não é? Que janelinha curta essa que arranjaram, não? enfim
Aconteceu muita coisa hoje, desde ondas muito bem surfadas, até horas em que o mar parecia uma piscina de ondas, daquelas bem primitivas, tamanha a ventania que se instalou lá pelo meio do dia.
Ouvi Lula Menezes falar após uma bateria, que estava tão mexido que não dava para saber o que era onda, o que era marola, nada, isso vindo de alguém que surfa no arpex há mais de 30 anos.
Na realidade o surf mesmo não esta sendo a estrela principal deste evento.
As estrelas são os próprios atletas, que estão esbanjando simpatia e parecem legitimamente felizes por estarem disputando uns com os outros novamente, em alguns casos após mais de uma década sem se ver.
Isso deve ser interessante, pois passaram mais de 10 anos convivendo campeonato após campeonato, se vendo quando não queriam mais se ver, vencendo e sendo vencido por anos a fio.


Estrelas do Passado e do Presente marcaram presença no evento. Simão Romão acima e Maraca abaixo. Foto: surfocrata
 
A vontade dos atletas de competir já é uma coisa mais diferenciada, visto que uns visivelmente vieram fazer turismo, e não estão nem ai pro campeonato, até porque as ondas não ajudaram em nenhum momento enquanto outros estão competindo como se sua vida dependesse disso, Gerlach por exemplo veio fazer turismo, Terry Richardson esta competindo mesmo, acho que quer repetir o feito de 82.
Aliás a turma acima dos 50 esta demonstrando até mais afinco nos embates que os menores de 50.

Peterson Rosa, gente boa, torcedor do Atlético Paranaense (como este que vos escreve), um dos maiores surfistas brasileiros de todos os tempos e ainda com chances de título, encara seu brother herdy na última quarta de final amanhã. Foto: surfocrata.
O formato do evento, embora interessante, pois permite os surfistas competirem várias vezes contra atletas diferentes, no final, só mesmo com calculadora para saber quem classificou ou não, tornando até mais dificil para o público leigo entender o que se passa.
A emoção, contudo, foi grande até a ultima bateria do dia, realizada já quase com a ajuda dos holofotes do arpex.

Uma coisa muito legal que acabou rolando foi a utlização de pranchas locais nas disputas, Glen Winton estava usando pranchas do Peninha, shaper da Invicta, tradicional marca da galeria River, reduto de surf shops cariocas, Terry Richardson usou uma cópia de um shape do Peninha.
Fui falar com o shaper e os caras estavam usando 23,5 de meio, é mole? Tem longboard que não é tão largo, isso em pranchas 5´11, 6´0!

Prancha do Terry Richardson, Peninha model. Foto: surfocrata

Mesma bóia.

Na agua, a disputa na Grand Master foi intensa até o fim e infelizmente ficamos sem representantes tupiniquins nas finais. As mesmas cobras criadas de sempre passaram, porque será? hehehe
Embates históricos serão realizados amanhã, imperdível, mesmo que fosse jogo de peteca, com esses caras tudo pode ocorrer.
Nas quartas de final da Grand Master teremos:

Cheyne Horan x Glen Winton
Shaun Tomson x Iain Buchanan
Wayne Bartholomew x Terry Richardson
Michel Ho x Simon Anderson

Já na Masters, a disputa foi também acirrada, mas no final houve, na minha opinião, uma falta de comprometimento dos atletas que não tinham mais chance, pois simplesmente deixaram de entrar na agua, como Elko e Gerlach.
Pode parecer bobagem mas não é, explico.
Mesmo não tendo chance, esses atletas poderiam tirar pontos de quem ainda poderia passar, exatamente como ocorreu com Jojó e Kaipo nas duas ultimas do dia, quando o mar, inclusive melhorou, os dois venceram e acabaram com as chances de Occy e Luke Egan, respectivamente.
Os juizes também não fizeram um trabalho maravilhoso, com varias notas pra lá de duvidosas.
De qualquer sorte, temos nada mais, nada menos que 6 atletas classificados para as quartas de final amanhã.
Os embates serão:

Shea Lopez x Nathan Webster
Victor Ribas x Fabio Silva
Fabio Gouveia x Renan Rocha
Peterson Rosa x Guilherme Herdy

6 representantes brasileiros, justamente os caras que viajavam juntos, competiam juntos e juntos tbém com Teco, Jojó, Daltro (alguém mais?) conseguiram os melhores resultados do Brasil no surf. Essa é a geração a ser batida.
Medina, Muniz, Pupo, Cardoso, Camarão, Mendes e Faria, observem!
Vcs tem tudo para supera-los, mas por enquanto, são só promessas.



BOLÃO

Grand Master - Glen Winton passa apertado por Cheyne Horan, muito merreca para o ex 4x vice campeão do mundo acertar suas batidas de back.
Shaun passa por Iain Buchanan, o sul africano é um verdadeiro embaixador do surf, simpático, educado e surfando muito, levanta a bandeira do surf.
Terry Richardson passa por Rabbit na melhor bateria da fase, os dois queriam muito a vitória, mas Terry levou vantagem por estar de front nas merrecas Arpoardianas.
Michael Ho pequeno e veloz, Simon Anderson, grande e power, novamente David vence Golias.

Na semi, Glen passa por Shaun enquanto Terry perde para Michael Ho

Acho que Mr. X será campeão e vc?

 Numa final eletrizante, Glen bate o pequeno haviano por miseros 10 milesimos, só juiz de surf mesmo pra dar notas assim.

Masters

Na primeira Shea bate Webster numa disputa bem morna, com o mar acordando.
Victor e Fabio Silva deveriam se encontrar na final, são, sem dúvidas os dois melhores do evento, acho que passa Vitinho.
Fabio Gouveia sua muito, mas passa por Renan
E Peterson vence Herdy, numa disputa intensa até a ultima onda, Herdy perde por que não completa uma simples batida a junção.

Victor ignora a presença de Lopez e vai com tudo pra a final.
Fabinho parecia que ia levar, mas ninguém compete com o sangue no olho que Peterson tem, e ele não desiste até achar a onda da virada, já na regressiva e vira, indo para a final.


Acho que Peter leva, e vc? Foto: blog do Peterson Rosa

Apesar de tudo levar a crer num titulo de Vitinho, Peter chega empolgadissimo na final e com duas notas acima de 8 deixa Vitor assustado, sem reação, qdo tenta se erguer é tarde, o titulo mundial foi para Matinhos

E tenho dito.


sexta-feira, 29 de julho de 2011

FESTA HAVAIANA EM PUERTO

Com quatro atletas na final o Hawaii demonstrou que de tubo em onda com tamanho quem entende mesmo são eles.
Apesar de algumas decisões duvidosas da direção de prova, o evento foi show.
Não pude ver ao vivo ontem as baterias, mas qdo acessei o site do campeonato estava on line o replay do dia todo, então deu pra ver todas as baterias de boa.
A transmissão estava show de bola, Peter Mel e Stryder de locutores principais, mas as imagens deixaram a desejar.  Estava meio borrado, sei lá...qualidade da camera?
Uma pena, pois junto com Ballito Bay, este evento poderia gerar as melhores imagens do QS deste ano.
Eu não me conformo mesmo é com a pontuação. 1000 pontos é muito pouco.

FESTA DO PÓDIUM. FOTO: SITE DO CAMPEONATO
Mencionei decisões duvidosas porque é notório que Puerto é uma onda matutina, logo no final da manhã, inicio da tarde entra o vento maral que só vai aliviar no fim de tarde, as vezes.
E na quarta a tarde a direção de prova colocou várias baterias em condições muito ruins, fechadeira mesmo, que gerou até reclamações de alguns atletas, como Marco Giorgi, que vinha surfando muito, mas perdeu em uma bateria cujo vencedor obteve 8,67 pontos, na soma de suas notas!
O lance era conseguir segurar a bomba depois do drop, ou seja, competição zero.
Ricardo dos Santos e Thiago Camarão, também vinham surfando bem e perderam em condições similares.

FINAL
 
O dia final foi irado.
Várias pranchas partidas, vários tubos sem saída e alguns tubos da vida, como manda a tradição do Mexican Pipeline.
Demonstrou também a falta de visão dos patrocinadores, que perderam a oportunidade de realizar um evento Prime nestas datas, enfim...quem sabe ano que vem...
Numa final só de havaianos, o show de tubos estava garantido.
Kiron Jabour venceu, com Eziekel Lau, vencedor do WQS de El Salvador em segundo, Billy Kemper (quem?) em terceiro e o ex campeão desse mesmo evento, Clay Marzo, em quarto.
Kiron pelo que sei, é filho de brasileiros (seu pai é o ex-surfista profissional Maurício Jabour) é havaiano mesmo, devendo conhecer seus adversários desde os primeiros eventos de grommets, além de ter vasta experiência em ondas buraco como Puerto. Qdo veio para os WQS no Brasil deu pra perceber que fala português fluente e anda com a galera do Brasil, Wigolly principalmente, então é gente nossa mesmo!
Lugar perfeito para a primeira vitória num WQS, ganha moral para as próximas etapas.



Clay Marzo, utilizando 4 quilhas, versatilidade da inveção do Ricardo Bocão. Foto: site do campeonato

Os videos estão todos no youtube, assim que sair o da final posto aqui. http://www.youtube.com/user/QuiksilverLatAm


quinta-feira, 28 de julho de 2011

CAMPEONATO EM LUGAR FIXO NO RIO É BURRICE

caras como Peterson mereciam ondas melhores para mostrar seu surf . Foto - blog do Peterson Rosa.
 
Alguns pensamentos sobre o mundial master.

Jogada de mestre da Abril, um evento praticamente esquecido no tempo, 10 anos sem realização.
Fecharam contrato de 3 anos, pelo que soube. Parabéns para eles pela sacada.

Hoje, consegui dar um mergulho cedo (mergulho, joelho ainda fudido, 3 meses sem surf e contando), tinha altas ondinhas no canto do recreio.
Neguinho fica falando que o Arpex é o Arpex, berço do surf nacional, tem tudo a ver fazer o mundial masters lá e bla, bla, bla...
De boa, o Arpex é de fato uma boa onda, talvez a melhor da cidade, mas é super inconstante, e sempre esta menor do que outros lugares do Rio.
Fazer campeonato de surf no Rio em lugar fixo é BURRICE.
A cidade tem grande potencial, grande variação de posição de praias, ventos, e ondulações, mas fixar num lugar só é correr um risco grande e desnecessário.
Nem Elkerton reclamaria das direitinhas alinhadas de meio metrão que rola no recreio hoje, enquanto no arpex mal tem meio metro.
Vão falar de custos, ok?
O que é pior? Gastar um pouco a mais desde o inicio ou arruinar as 2 próximas edições por no show de atletas master que podem não competir mais como antes, mas tem uma reputação a zelar, e não vão se queimar pegando meio metrinho só para estar no Rio.
Ou gastar um pouco mais desde o inicio para não ficar com uma reputação mundial de evento merreca, cujo titulo será eternamente contestado?
Ou ainda, gastar um pouco mais desde o inicio ou ter que finalizar o evento distribuindo a grana entre todos, sem final por falta de onda?

Não é porque trouxeram estrelas das décadas passadas que a competição tem que rolar como décadas passadas, em qualquer condição, em qualquer lugar, estamos a tempos competindo com tempo de espera, janelas esperando as melhores condições para os atletas poderem mostrar o que sabem.

Não estou jogado praga, mas a previsão até domingo não é das melhores.
Terá onda no Rio, Cidade, mas acho que não terá ondas no Rio, Pico Arpex.
Uma pena, dirigentes com boas ideias as vezes esquecem que no surf, quem manda mesmo é a natureza e é preciso aprender com suas imprevisibilidades.
abç

ULTIMO DIA DO WQS EM PUERTO - AO VIVO AGORA

http://itv360.com/QuiksilverProPuerto/live/

Não há mais brasileiros na prova. Vale torcer pelo Kiron Jabour, é havaiano, mas com sangue brazuca.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

MUNDIAL MASTER RIO 2011


Em algumas baterias, a forma dos caras, o nível de surf e de competição era literalmente uma viagem no tempo. Ainda mais para a imaginação de quem só pode acompanhar o surf competição durante a década de 80/90 por revistas e jornais, as vezes com um delay de 3 meses.
A primeira bateria de hoje foi uma dessas, já falo dela.
Infelizmente só pude ver essa ao vivo,
O evento começou as 9, eu estava na praia desde as 7 e meia, e obviamente, já tinha que estar no trampo nesse horário. Enrolei a primeira bateria e depois não teve jeito, o telefone começa a reclamar no bolso e tive que me mandar. O metro é perto do Arpex e em 20 minutos estava vendo a segunda bateria no escritório.
A transmissão em inglês esta show de bola.
É um privilégio ouvir Nuno Jonet, em qualquer língua, diga-se.
O experiente locutor Português esta convenientemente revivendo ao menos 20 anos de sua longa carreira narrando esses caras novamente.

Nunca imaginei ver TC neste cenário, linda foto - Foto: site do surpersurf
Antes de falar do evento, gostaria de dar uma letra sobre a forma de disputa. Achei muito legal, as 5 primeiras fases os atletas disputam baterias de 4 atletas (com revezamento) valendo os 4 melhores resultados da seguinte forma: 10 pontos para o primeiro, 7 pontos para o segundo, 4 pontos para o terceiro e 1 ponto para o quarto colocado. No final das 5 fases, soma-se os 4 melhores pontos e define-se quem vai as quartas de final em bateria homem a homem.
 
Voltando ao surf Peterson virou no final mostrando o bom e velho estilo bronco de ser e de não desistir nunca, embora seus três adversários levassem clara vantagem ao surfar de frente para onda nas velozes esquerdinhas do arpex. Shea Lopez ficou em segundo, Herdy em Terceiro e Barton Lynch em quarto.

Na segunda bateria tive a grata surpresa de ver Richard Lovett surfando.
O cara teve um grave problema de saúde, salvo engano, foi um cancer ósseo raro no fémur. Logicamente que após esta notícia o cara sumiu.
E ele ta surfando tão bem qto antes, mesmo estilo, joelho direito dobrado, braços coordenados e um backside afiado, contudo, nada pode fazer perante um endiabrado Fabio Gouveia, que estava literalmente, desfilando nas esquerdinhas, atrás veio Kaipo, que apesar do peso extra que carrega na pança ainda solta suas bancas de backside, em ultimo ficou Elkerton, que deve ser o cara que mais esta odiando esta condições, embora tenha passado por mim sorrindo antes da bateria.
Mas eu, como fã, gostaria de ver Elkerton num mar grande e fechadeiro. Seria show, ele, como Peterson, sempre se destacou em mares que ninguém queria cair.

As fotos nestas condições, agua cristalina, ceu azul, onda pertinho da beira, ficam sensacionais, "furtei" algumas do site do campeonato, mas tem várias outras lá, é só conferir clicando aqui

Até o fim da semana vou pegar a medida dessa prancha do Kong e mandar fazer uma pra mim. Foto - site do campeonato
 Na terceira do dia Renan Rocha levou fácil, com Jake Patterson em segundo e Derek Ho pertinho dele.
O engraçado foi ver Richie Collins tentando curar sua ressaca no mar, não deu...


Tom Curren se brasileiro fosse, seria Mineiro, certeza.
No finalzinho, quase que como não quer nada, "roubou" a segunda posição da bateria.
Posição esta que estava sendo disputada a tapa entre Jojó e Teco.
Victor estava nesta bateria e surfou uma atrás da outra, passando em primeiro, com sobras.

Teco com sua rasgada marca registrada - Foto site do evento


Na quinta bateria Nathan Webster disparou na frente, com uma bela disputa de segundo lugar sendo disputada entre Occy e Ricardinho Toledo (gostaria de ter visto esta bateria num homem a homem em 95, com esquerdas perfeitas, vc não?).
Brad Gerlach parecia em situação semelhante a de Collins e começou a surfar de base trocada. Protagonizou o momento comédia ao rabear Occy numa boa onda. Não foi uma interferência, foi uma rabeada. Engraçado. Brad over Occy.
Ricardinho de sunga...surfando pra caramba, mas ninguém merece...
Occy surfando pra caramba tbém, in shape
Natham Webster, se não fosse a cara enrugada de sol e cachaça, dava pra afirmar que é o mesmo magrelo que venceu, de fish, o WQS de Ubatuba em 95.

Luke Egan style - Foto site do campeonato


Na ultima que pude ver hoje, Luke Egan quebrou tudo desde o inicio e deixou a briga pelo segundo lugar entre Fabio Silva e Rob Bain, com o brasileiro levando, em ultimo ficou o havaiano Marty Thomas.



Não custa lembrar que estamos no inverno. ano louco esse, verão com altas, inverno flat...vai entender - foto: site do evento
Ainda tivemos baterias da grand master,mas não pude ver, tinha que trabalhar uma hora não é?
Amanhã estou lá cedo, espero que role o campeonato antes do que 9 horas, porque enquanto esperava vi um free surf de qualidade com atletas de ambas as categorias quebrando logo cedo no arpex.
fui

Ranking primeira fase categoria Master depois de duas rodadas

1 Victor Ribas (Bra) - 20 pontos
1 Nathan Webster (Aus) - 20
3 Shea Lopez (EUA) - 17
3 Renan Rocha (Bra) - 17
3 Mark Occhilupo (Aus) - 17
3 Luke Egan (Aus) - 17
7 Peterson Rosa (Bra) - 14
7 Guilherme Herdy (Bra) - 14
7 Fábio Gouveia (Bra) - 14 
7 Teco Padaratz (Bra) - 14
7 Fábio Silva (Bra) - 14
7 Kaipo Jaquias (Haw) - 14
13 Richard Lovett (Aus) - 11
13 Tom Curren (EUA) - 11
15 Richie Collins (EUA) - 8
15 Jake Patterson (Aus) - 8
15 Rob Bain (Aus) - 8
18 Derek Ho (Haw) - 5
18 Jojó de Olivença (Bra) - 5
18 Brad Gerlach (EUA) - 5
18 Ricardo Toledo (Bra) - 5
22 Barton Lynch (Aus) - 2
22 Gary Elkerton (Aus) - 2
22 Marty Thomas (EUA) - 2

SURF AO VIVO ROLANDO AGORA

domingo, 24 de julho de 2011

ALL NIGHT LONG - WT AFRICA - FINAL

E o local Jordy Smith levanta o bi campeonato em casa, batendo Mick Fanning na final.
Acho que os surfistas se arrependeram de não colocarem na agua as baterias sexta feira, pois este evento teria um final muito melhor caso tivesse se encerrado ontem.
Alias, acho que meus palpites ontem não contavam com uma piora tão grande das condições. Achei que estaria ventando, mas que ainda teríamos boas ondas, e não foi o que houve, tornando as quartas de final em diante uma verdadeira loteria, com a escolha de onda valendo mais que tudo.

Jordy leva a etapa em J Bay 2011


O dia começou como previsto, com Jordy passando por cima de Damien, em seguida, Ace Bucan eliminou o autor do único dez do evento, Julian Wilson.
Como previsto também Alejo não segurou Parko.
E Kerr não vingou ninguém, sendo facilmente dominado por Mick.


Na primeira semi o adeus do último Goofy, Ace não achou as melhores ondas e Jordy dominou a ação. Mas vale a menção honrosa de Adrian, que é um dos melhores backsiders do circuito.
A segunda melhor coisa que poderia acontecer a Mineiro seria Parko perder na semi, e foi o que rolou, não deixando que o australiano abrisse uma vantagem muito grande no ranking, apesar de eu ter achado o 9 alto do Mick overscoresd e o 7 do Parko underscored, mas acho que não mudaria mto o resultado.
Achei Parko o melhor surfista do evento, assim como Mick foi em Bells.
Nem sempre o melhor do evento vence a final.

Na final Mick começou bem, mas foi imediatamente respondido por Jordy. Mick voltou para o fundo e ficou esperando uma boa, enquanto Jordy foi trocando de nota, o que foi a melhor tatica, já que não veio grandes coisas para o australiano tentar a virada.

Jordy mereceu, foi legal ver a festa do público.
Assim que tiver o ranking oficial posto aqui.
Vou dormir. Finalmente!!!

ASP WORLD TITLE TOP 10 (After Billabong Pro Jeffreys Bay):
1.
Joel Parkinson (AUS) 25700 pts
2. Jordy Smith (ZAF) 24750 pts
3. Adriano de Souza (BRA) 22250 pts
4. Mick Fanning (AUS) 19500 pts
5. Taj Burrow (AUS) 18250 pts
6. Kelly Slater (USA) 16950 pts
7. Michel Bourez (PYF) 16000
8. Bede Durbidge (AUS) 15000
9. Josh Kerr (AUS) 13900 pts
9. Owen Wright (AUS) 13900 pts

sábado, 23 de julho de 2011

ALL NIGHT LONG IV - WT AFRICA E BOLÃO

Dias como os de hoje deixam a mostra quem é surfista e quem é atleta no circuito mundial.
Todos surfam muito, fazem o diabo em cima de uma prancha, mas a competição pede que vc faça isso ao menos duas vezes, num mar com ondas longas e correnteza.
Para alguns 2 x, para outros 3 x no mesmo dia.
Dureza! Quem for só surfista leva desvantagem, tem que ser atleta.



BRASILEIROS

No geral não foi um dia bom para o Brasil. Especialmente porque Adriano perdeu a liderança do mundial e por termos apenas um representante nas quartas de final. Mas vamos por partes.

Jadson não teve a paciência que o mar exigia para se dar melhor nas ondas de J Bay. Paciência que sobrou para Damien. O brasileiro pegou a melhor onda da bateria, um 6, com a segunda e ultima manobras realmente muito bem executadas, mas se Jadson tivesse pego as mesmas ondas que o americano (até pegou uma, mas a prioridade era do gringo) teria feito muito mais nota do que Hobgood, que mais alisou do que manobrou.



Heitor pegou um empolgado Ace Bucan pela frente. Ace surfou muito e mereceu, na minha opinião. Mas alguns detalhes contribuiram para que a apresentação do cearense ficasse limitada, principalmente a queda na segunda manobra de sua melhor onda, num momento crucial da bateria. Pena, porque estas baterias do round 3 realmente definem quem se deu bem no campeonato, pois a diferença de pontos é muito grande desta fase do evento em diante.



Adriano e Alejo fizeram uma bateria apertada. Era uma bateria crucial para ambos. Para manter a liderança e para se manter entre os tops. Melhor para o novato.


A perda da liderança, para mim, é circustancial. Mineiro não estava 100%, e a corrida pelo título ainda tem muitos capítulos. Contam-se apenas os 8 melhores resultados, KS nem pontuou nesse, e Taj caiu hoje no mesmo round. Não é, portanto, nenhum bicho de sete cabeças.
Os problemas são os australianos Mick e Joel, sendo que o segundo pode abrir uma boa vantagem, caso vença.
Acho que Mineiro tem as mesmas chances que seus adversários diretos em Teahupoo, com exceção de KS. Por isso, o interessante é tratar qualquer resquício da lesão e chegar na próxima etapa com o melhor preparo possível.
Tenho certeza que sairão falando que já era, que Parko parte com tudo para o título. Isso pode até ocorrer, mas eu não jogaria a toalha ainda. Temos ainda 3 ou 4 etapas em que Mineiro pode muito bem vencer. Veremos.

Alejo arriscou muito e não se achou na sua bateria do round 4, e pouco adiantaria, Kerr só faltou fazer chover, acertando quase tudo que tentou.


Já a bateria do round 5, Alejo teve um rabo do caralh&%$. Tanto ele quanto Adam Melling aparentavam cansaço e estavam caindo muito da prancha. Alejo precisava de 6 alto. Não conseguiu, mas conseguiu trocar suas duas notas e passar raspando para as quartas, onde enfrenta Joel.



GRINGOS

Destaques para o 10 do Wilson, falei que ele tinha se soltado depois de vencer em Portugal, para o aéreo do Jordy e para as derrotas de Owen e Taj.

BOLÃO
Acho que Jordy faz a final. E vc? Foto: site do campeonato


1 Damien Hobgood (EUA) x Jordy Smith (Afr)
2 Adrian Buchan (Aus) x Julian Wilson (Aus)
3 Joel Parkinson (Aus) x Alejo Muniz (Bra)
4 Josh Kerr (Aus) x Mick Fanning (Aus)

Bom, depois de um dia como este é até dificil imaginar como será amanhã, mas vamos lá...

Jordy atropelará Damien, que já fez mais do que podia chegando até aqui.
Julian passa por Ace, que merecia até mais.
Alejo tem a grande chance de diminuir o prejuízo do Mineiro, mas acho dificil, Joel deve levar.
Josh Kerr desencanta, com um 10 e um 9 e pouco para despachar Fanning

Jordy e Julian fazem um belo show para o público, com Jordy levando sua torcida a loucura virando na última onda, repetindo o feito do ano anterior.

Joel esbanja classe para passar por um satisfeito Josh Kerr.

Na final, entre os dois últimos vencedores do evento, da Joel, por boa margem, sua sintonia com o mar é impressionante. Esta vitória pode ser a tão aguardada arrancada para o título.
Ele, Joel, de fato parece mais faminto neste ano, mas tem em seus calcanhares alguns dos melhores competidores do circuito.
KS estará no Tahiti.
Mick e Taj já tem história no pico.
Jordy e Mineiro querem fazer história no pico.
Owen estará de frente para a onda.
Parko pode até levar o título no final do ano, mas será briga de cachorro grande.
E tenho dito.

ps: assim que os videos forem sendo postado eu coloco aqui ou veja no site do campeonato CLICANDO AQUI

quinta-feira, 21 de julho de 2011

ALL NIGHT LONG III - WT AFRICA

E acabou-se o round 2. Ondas até melhores do que esperava.
Deu para perceber que a organização queria, inclusive, avançar algumas baterias do round 3, mas os surfistas seguraram a onda, visto que a previsão é de que o mar suba consideravelmente, com paredes de 6 a 8 pés sendo esperadas. Resta saber se realmente entrará tudo isso e se o vento estará correto, já que a previsão será de dias nublados.

BRASILEIROS

Michel Bourez precisou fazer a melhor média do dia para eliminar Raoni Monteiro, que estava surfando muito e na minha opinião vem sendo sistematicamente mal julgado. Desta vez, acho que além de achatarem uma nota dele, aumentaram muito a do Michel. O 9,6 dele foi muito bem surfada, mas era onda para 8,5 no máximo, assim como a 7 e pouco do Raoni, era para ser 8 baixo, enfim, são escores que na realidade não mudam o resultado final da disputa, mas se fossem anunciadas dessa forma, Raoni não precisaria de 9 alto no final, mas algo mais facilmente atingido, como um 8 alto.



Pat Gudauskas era o favorito para passar a bateria. Inclusive dos juízes. Deram uma ajuda muito boa para ele ao darem 6 e pouco para 3 floaters safados na primeira onda.
Não contavam com o timing do Heitor, que no finalzinho surfou muito bem uma da série, passando seções impossíveis para meros mortais e cravando 7 alto para passar para o round seguinte.



ROUND 3

Jadson André enfrenta Damien Hobgood num dos melhores confrontos da próxima fase. Ambos goofies, será interessante essa bateria. Quanto maior o mar melhor para ambos, definitivamente acabou essa história de mar grande com esse nível de competidores. Lógico que torço pelo brasileiro, mas Damien tem história na onda, já fez final e pode passar.

Heitor Alves pega Adrian Buchan, outros dois goofies, será a classe e estilo do australiano contra a velocidade e explosão do brasileiro. Acho que Heitor é mais esperto que Adrian, e costuma competir melhor, daí minha aposta no cearense, vamos ver.

Por último, Adriano de Souza pega Alejo Muniz. Que situação! Azar, sei lá, são dois caras que mereciam passar para as fases mais interessantes do evento, NO LOSERS ROUND em diante. Mas são coisas da vida e que vença o melhor. No momento o melhor competidor é, sem dúvidas, Adriano, mas as coisas só se decidirão na hora.

Deve rolar ainda essa madrugada, a partir das 2 da manhã o negócio é se ligar no SITE DO EVENTO que esta com excelentes transmissões, tanto em inglês quanto em português.

abç

quarta-feira, 20 de julho de 2011

FIJI

Aos poucos vai pingando as imagens da semana mágica que poucos sortudos tiveram em Fiji.
Esta foto e video foram pingados no twitter, a foto, salvo engano da surfer e o video twitado pelo KS.

BRUCE IRONS, FIJI - FOTO TWITER DA SURFER


<iframe src="http://player.vimeo.com/video/26667419?title=0&amp;byline=0&amp;portrait=0" width="400" height="300" frameborder="0"></iframe><p><a href="http://vimeo.com/26667419">Paddling Monsters - 12th July 2011</a> from <a href="http://vimeo.com/timbonython">Tim Bonython Productions</a> on <a href="http://vimeo.com">Vimeo</a>.</p>

Paddling Monsters - 12th July 2011 from Tim Bonython Productions on Vimeo.

MORRO E NÃO VEJO TUDO

GORDO EM PUERTO

TUBÃO!!!
E tem outros no mesmo canal surfar.


UMA ONDA INDIGNADA!!!!

Traída! Abandonada! Desrespeitada! Trocada! Esnobada!
São alguns dos sentimentos que a Onda J Bay esta sentindo pelo careca que tanto amou e tantas alegrias deu no decorrer dos anos. Lembram-se do Billabong Challenge, grande pra caralh..., aquela final com o AI, inúmeras outras vitórias, tubos da vida, manobras idem...
A indignação aumenta ao lembrar que KS pagou $500 por onda, numa valinha safada no meio da barra outro dia.
A dor aumenta pela execração pública da traição...o motivo: trocada por outra, maior, quente, azul clara e o pior de tudo! Uma Esquerda!
J Bay se sente a Hilary Clinton...os jornais exibem com orgulho as estripulias de seu amado com Outra Onda!
Ela, que é flor do campo, tem sido tratada por todos como tiririca do brejo.
Pura injustiça, já que todos os pros que lá estão pegaram altas semana passada no mesmo pico.
Mas para a fria decisão do careca, tudo se apagou, todos os suspiros passados morreram, a história dos dois é coisa esquecida, J Bay virou cocoa beach, lugar chato, mala, frio, e merreca...
"deixe estar..." pensa a magoada J Bay..."vc, careca safado, ainda vai precisar de mim...naqueles minutos finais...nada como um dia após o outro"

Com a promessa de vingança, talvez no futuro, KS sinta toda a fúria de uma Onda Traída.
Pura viagem, lógico!
J Bay tem cara de ser onda de malandro...

terça-feira, 19 de julho de 2011

COMÉDIA

Tubarões sempre foram um problema para surfistas do mundo todo.
Aqui uma sugestão para a proxima queda...
Seguro morreu de velho...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

ALL NIGHT LONG II - WT AFRICA

Que novela o inicio desse segundo dia de competições em J Bay. Era de 15 em 15 minutos nova chamada, até as 4 da matina, 9 horas lá, e finalmente 9:45 da manhã lá, 15 pras 5 aqui, começou o segundo round.
Essa demora toda se deu porque o mar estava merreca, alinhado (qual point break que se prese não quebra alinhado?) mas demorado e os dirigentes não queria assinar sozinhos a responsabilidade de colocar os atletas na agua.

Não. J Bay não estava assim hoje, mas a fotos é muito linda para não posta-la. Fonte: surfermag


Reunião vai, reunião vem, acabou rolando (parece que apenas Kieran Perow era contra, porque será? hehehe). Mas apenas as 6 primeiras baterias do round.
A real justificativa não é a previsão do mar de hoje, mas a previsão da semana toda, que esta uma merda.
E aparentemente eles terão apenas mais um dia bom de surf até o final da semana, e precisavam adiantar o campeonato.

NÚMERO 1 DO MUNDO AVANÇA

Dos brasileiros no segundo round (Jadson e Alejo já passaram), apenas Adriano de Souza caiu hoje e apesar de falar que ainda esta meio "slow" surfou muito bem, no poket, bem ao seu estilo, para eliminar o prego, digo, o profissional do surf Gabe Kling. Cá entre nós, esse cara não seria nem top trinta no BSP.
Arrisco dizer que Adriano passou até com certa tranquilidade, visto que em menos de 10 minutos já tinha feito os scores que precisava para passar, com destaque para um 8 pontos. Confira o video abaixo ou no site do campeonato CLICANDO AQUI



CARECA ABRE CAMINHO

No post de ontem falei que talvez desse tempo para o careca chegar até J Bay e competir, ele vinha falando em seu twitter que se segurassem o campeonato ele poderia chegar sim, no fim não deu para ele, que acabou substituído pelo local Travis Logie.
Essa história de "no show" não foi bem digerida pela ASP. Segundo Luke Egan haverá mudanças nas regras para apresentação dos atletas nos eventos, ou seja, multas devem subir e os caras deverão se apresentar com maior antecedencia. Ainda mais nesse caso do KS que foi escrachado, né? Tem altas aqui então não vou!
No caso do Bobby então, a ASP nem sabe dele, dizem que esta incomunicável! Eu hein? O malandro tá sem patrocinio principal, esta mal das pernas no ranking, reclama pelos cotovelos e qdo tem a chance de marcar mais pontos azula? some? Estranho.


Bom voltando ao KS. Abre-se uma brecha importante no ranking, especialmente para aqueles abaixo do careca, como Jordy, Taj e Mick.
Pode não parecer, mas esse campeonato, geralmente é um lugar onde o KS computa pontos. Nesse ano, contam os 8 melhores resultados. Ele tem um primeiro, um quinto e um décimo terceiro. Esse décimo terceiro deve virar descarte, junto com esse 0 em J Bay.
Ou seja, resta apenas um descarte para KS até o final do ano e isso pode ser crucial mais para frente, veremos.

Nenhuma surpresa nos demais embates de hoje, com os melhores rankeados se sobressaindo sobre os convidados e piores rankeados. Confesso que torci contra o Taj, mas o Sean Holmes não vingou.
Freddy P. vai gralhar no twitter, podem esperar! Talvez assim o Bobby apareça, reclamando junto.

Pela previsão que os caras mostraram hoje, não deve rolar evento antes de quinta feira, mas Netuno é quem manda, então o lance é acompanhar dia a dia.

Fui

domingo, 17 de julho de 2011

O "BOLO" DO KELLY SLATER

O bolo, o KO, o WO, o no show, ou como quer que queiram chamar do KS na ASP tem dado o que falar.
Zilhões de especulações na net.
atualizando, CLIQUE AQUI E VEJA PORQUE KS NÃO QUER SAIR DE FIJI 
AQUI TAMBEM 

KS em FIJI - FOTO - TWSURF.COM


Li no waves que ele estaria puto com a ASP, pela volta de ondas ruins ao WT, como RJ e NY, e pela opção da Rip Curl de fazer seu campeonato numa onda fechadeira perto de São Francisco.
Olha, nem conheço o careca, mas pelo que sempre li sobre ele, inclusive nos seus 2 livros, o cara é um dinheirista fdp, então, duvido que ele dê no show num evento que oferece um milhão de dólares, mesmo que seja disputado em piscina de ondas, sem falar que ele não descontaria sua "raiva" numa de suas ondas favoritas, J Bay.
Na Hardcore, se bem entendi, Julio Adler acha que KS só não veio para J Bay porque o Mineiro é o líder, se fosse o Joel ou Jordy o líder da corrida ao título, ele estaria lá mesmo sem onda, numa de menosprezar o brazuca.
Eu concordo quando ele fala que a mídia gringa e a ASP estão realmente ignorando o Mineiro e que devíamos aprender a fazer o mesmo, inclusive acho que o problema não são eles, mas NÓS brasileiros, que não sabemos cultivar nossos idolos.
Tinhamos que nos espelhar em Portugal, que idolatra Tiago Pires como se fosse Campeão do Mundo pelo simples fato dele estar no WT.
Mas achar que o careca deixou de ir por conta disso acho que é um pouco complexo de perseguição, sindrome de vira-lata, sei lá.

Eu mesmo entrei na onda das especulações e falei que o careca deve estar de saco cheio.
Mas depois de ver esse video abaixo e as previsões da semana para J Bay, lembrei do principio de Ockhan:

Cquote1.svg "Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenómeno, a mais simples é a melhor" Cquote2.svg


Acho sinceramente que a explicação mais simples é a verdadeira, tem altas ondas onde o careca está, mas altas mesmo! E o cara esta entre amigos, pouco crowd (pra ele isso pouco importa), agua quente, enfim, trocar isso por um metrinho safado de ondas geladas, onde quer que seja, simplesmente, NÃO VALE A PENA.

Como disse, o cara é dinheirista pra caramba, te garanto que desse no show sairá um filme do careca, tipo aquele NO CONTEST de 98 em G-LAND, pagaria qualquer multa da ASP e sobra troco.
ps: como tá merreca na Africa, é bem capaz que de tempo para o careca chegar lá...alguém duvida que pode até levar o caneco?

sexta-feira, 15 de julho de 2011

ALL NIGHT LONG - WT NA AFRICA

Vou te falar. Acompanhar o WT no fuso da Africa não é mole. Literalmente a noite toda, a madruga toda, melhor dizendo, enfim...
Foi irado o primeiro dia do Billabong Pro em Jeffrey´s Bay, Africa do Sul. Achei que os caras iam esperar mais, esperar o mar subir um pouco mais, acho que o KS tbém, mas já falo disso. Transmissão show de bola!

VISUAL DO PICO - FOTO: TIAGO PIRES


Como falei ontem, os regulares levam imensa vantagem por surfar de frente para a onda.
Não foi 10 x 0, mas foi 10 x 2 para os surfistas com o pé esquerdo na frente da prancha.
Apenas Jadson e Kai passaram sendo goofys.
Não sei se é impressão minha, mas a onda hoje parecia mais rápida do que nunca.

Tivemos dois "no show" hoje. Bobby Martinez e KS.
Não sei do Bobby, mas uma tartaruga marinha me contou que o KS não foi porque tinha altas onde ele estava, Fiji, parece. Não sei se a tartaruga é confiável, mas isso é coisa do careca, já fez isso antes. Pode ser sinal de que esta meio de saco cheio. Será que ele vai tomar chamada da ASP? HEHEHE...
Mineiro deve estar pensando na oportunidade.


BRASILEIROS

Especulações à parte, na água, Jadson mandou Taj e Gabe pra repescagem. Surfando com muita velocidade, passou seções com manobras precisas. Pela entrevista, ficou feliz pra cara$%@#, e ainda esta mordido por terem falado que ele era um cara de uma manobra só, sem maiores recursos.
Demonstra que esta instigado em evoluir e demonstrar sua evolução para todos.



Não gostei das notas da bateria entre o Mick e o Heitor. Sem Martinez, foi homem a homem a parada. Achei o 4 e pouco do brasileiro muito baixa, apesar da onda ter sido menor ele surfou variando as manobras e com um aereo no fim. E o 8 e pouco do Mick overscored. Vão falar que estão valorizando o floater de novo e tals, como no caso do Mineiro no RJ. Se o critério é variedade, o que dizer de variedade numa onda longa como J Bay? Derepente o resultado até seria o mesmo, sei lá...


KS não apareceu para sua bateria contra Alejo e o wild card local Shawn Paine. O catarinense, que não tem nada a ver com isso, bateu sem dó no wild card que não conseguiu nada melhor que 5 na bateria.



Numa bateria que começou devagar, Adriano perdeu para Kai Otton, ficando em segundo na bateria que também contava com Chris Davidson. Achei que Adriano surfou bem. Melhor até do que eu esperava. Joelho é foda!



Raoni também ficou em segundo na sua bateria. Joel venceu o confronto com suas duas primeiras ondas, pouco acima dos 6 pontos. Em último ficou o tbém recém lesionado Brett Simpson.



Destaques gringos, além dos WOs, para  Dusty Paine, Julian Wilson e para a bateria entre Jordy x Sean Holmes x Adam Melling. Nem vou falar nada, vejam o video:


Segunda Fase

Adriano pega Gabe Kling, com boas chances de se classificar. Gostei da última onda dele na bateria de hoje. Deve estar pensando lá na frente, nos pontos que ele puder fazer e trabalhar para que seu joelho não prejudique mais do que uma prova do circuito.

Raoni pega o tahitiano Michael Bourez, será páreo duro! Dois caras de frente para a onda, que tem como característica principal manobras fortes e que vem de um resultado no RJ.

Heitor Alves pega o campeão do último prime, Pat Gudauskas. Pelo surf apresentado hoje acho que Heitor passa. Hoje achou uma boa, faltou a segunda.

Vou atualizando os videos a medida que o site do evento disponibilizar, ou vejam direto lá, CLICANDO AQUI, .